Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/3335
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Narrando o que ninguém viu, sobre aquilo que todo mundo vê: memórias e histórias das comunidades rurais do oeste potiguar
metadata.dc.creator: Costa, Ana Claudia de Andrade
metadata.dc.contributor.advisor1: Vieira, Kyara Maria de Almeida
metadata.dc.contributor.referee1: Almeida, Janaiky Pereira de
metadata.dc.contributor.referee2: Oliveira, Gerciane Maria da Costa
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho é fruto de recortes de histórias bordadas no sertão potiguar, que objetivou investigar as identidades constituídas no meio rural, trazendo narrativas de sujeitos pertencentes as seguintes localidades: Projetos de Assentamentos: São Manoel e Tabuleiro Grande (Apodi-RN), P.A Nova Esperança (Mossoró-RN), P.A Mauricio de Oliveira (Açu-RN). O objetivo principal da pesquisa foi investigar os agentes históricos da produção da memória em comunidades rurais do semiárido potiguar e como estão se constituindo as identidades das pessoas do campo além de analisar as narrativas das pessoas mais velhas acerca da construção de algumas comunidades rurais Oeste Potiguar. Para a coleta de dados, usamos como metodologia revisão bibliográfica, no qual dialogamos com alguns autores, a exemplo de: Albuquerque Jr (2008), Hall (2005), Vieira (2006), Larrosa (2002), Foucault (1978/1992), dentre outros. Além de pesquisa de campo, tendo como instrumento entrevistas semiestruturadas. O resultado das análises dos dados apontam o Oeste Potiguar enquanto um espaço composto por vidas em transformação e com muitas histórias ainda não ouvidas nem contadas. Observamos também as práticas culturais que nossos/as colaboradores/as construíram para possibilitar a circulação de seus saberes que são de suma importância para a composição de suas identidades, o (re) conhecimento e vivência dos seus lugares. Percebemos também que a conquista da terra se deu com o auxílio dos Movimentos Sociais, direta ou indiretamente. E mesmo que, na maioria dos assentamentos pesquisados, os donos das terras tenham feito acordo com Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) sem maiores tensões, foi preciso persistência para compor o grupo de famílias que formariam os assentamentos, a resistência para a formalização da posse da terra, a luta para acessar as políticas que dão condições de permanecer na terra.
Abstract: Não possui
Keywords: Comunidades rurais
Memória
Identidade
Oeste Potiguar
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Semi-Árido
metadata.dc.publisher.initials: UFERSA
metadata.dc.publisher.department: Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas - CCSAH
Citation: Costa (2018) (COSTA, 2018)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/2214
http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/3335
Issue Date: 28-Mar-2018
Appears in Collections:Licenciatura Interdisciplinar e Educação do Campo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AnaCAC_MONO.pdf966.55 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.