Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/tede/697
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Longevidade e produção de abelhas rainhas africanizadas (Apis mellifera L.) em colmeias sob condições de sol e sombra no Semiárido do Nordeste brasileiro
Other Titles: Longevity and production of queen bees Africanized (Apis mellifera L.) in hives under conditions of sun and shade in the Semiarid of Northeastern Brazil
metadata.dc.creator: Santos, Ricardo Gonçalves
metadata.dc.contributor.advisor1: Gonçalves, Lionel Segui
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Message, Dejair
metadata.dc.contributor.referee1: Message, Dejair
metadata.dc.contributor.referee2: Gramacho, Kátia Peres
metadata.dc.description.resumo: A abelha rainha (Apis mellifera L.) tem importância crucial no desenvolvimento de uma colônia, porém sua produção, ciclo de vida e desempenho podem ser afetados pelos fatores ambientais, de modo que suas características variam dependendo das condições edafoclimáticas dos locais onde habitam. No entanto, supõe-se que métodos de manejo adequados podem amenizar os efeitos negativos causados por condições ambientais adversas. Diante disso, este trabalho propôs avaliar a influência de diferentes condições ambientais no semiárido nordestino (colônias de abelhas instaladas no sol e na sombra) no processo de produção de rainhas africanizadas de Apis mellifera, bem como no desempenho e longevidade destas rainhas nesse ambiente. Ao todo foram utilizadas 20 colmeias modelo Langstroth nas condições experimentais citadas. Para a produção de rainhas, foram utilizadas 10 colônias órfãs (5 no sol e 5 na sombra) e foram avaliados o percentual de aceitação de larvas, o desenvolvimento ontogenético e a taxa de sucesso das transferências de larvas (emergência) nestas duas condições. Para avaliação da longevidade, rainhas irmãs e com a mesma idade foram introduzidas em colmeias constituídas de um ninho modelo Langstroth contendo colônias de aproximadamente 30.000 abelhas, instaladas diretamente sob o sol e na sombra, sendo 5 colmeias em cada condição experimental. As rainhas em acompanhamento também tiveram o desenvolvimento de suas colônias registrado por meio de revisões in loco a cada 15 dias, realizando estimativas através de mapeamento da área ocupada nos quadros com postura, cria, pólen e mel, isso até as rainhas morrerem. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente mediante a comparação das médias pelo Teste T-Student ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados mostraram que a aceitação de larvas em colmeias na sombra (68,82 ± 17,03%) foi significativamente maior do que a aceitação em colmeias no sol (52,13 ± 16,29%). O ganho de peso das rainhas também foi melhor quando estas se desenvolveram em área sombreada, sendo que a diferença estatística foi detectada a partir do 9º dia do desenvolvimento ontogenético, quando os indivíduos estavam no final do estágio larval. Após esta fase o peso dos indivíduos de ambos os grupos começou a cair (até a emergência das rainhas), mas as rainhas da sombra emergiram em média, 31 mg mais pesadas do que rainhas oriundas de colmeias no sol. Contudo, a taxa de emergência na estufa de rainhas criadas no sol (86,48%) e na sombra (92,07%), não diferiu significativamente. Algumas rainhas ainda permaneceram reprodutivamente ativas após o tempo de coleta de dados e os resultados parciais até então sobre a longevidade mostraram média superior nas rainhas da sombra, porém, não apresentaram diferença estatística. Foi observado vida útil das rainhas de 215 ± 29 dias em colmeias sob condições de sombreamento e 183 ± 46,2 dias das rainhas em colmeias expostas ao sol, podendo essa diferença ser aumentada, uma vez que ainda sobrevivem duas rainhas mantidas na sombra e uma no sol. Consideramos que a amostragem nesse estudo de longevidade sofreu muita interferência das condições inóspitas do semiárido (altas temperaturas, falta de chuvas e escassez de alimento), devendo ser obtidos novos dados para uma conclusão mais precisa. O desenvolvimento das colônias também foi influenciado positivamente pela condição de sombreamento, sendo que a área de cria foi a principal variável favorecida. Conclui-se que a instalação de colmeias sob área sombreada ameniza as condições hostis do Semiárido da Caatinga, proporcionando melhor desempenho das colônias e rainhas, além de maior eficiência no processo de criação racional das rainhas de abelhas africanizadas de Apis mellifera
Abstract: The queen bee (Apis mellifera L.) is of critical importance in the development of a colony, but its production, life cycle and performance over lifespan can be affected by environmental factors, so that the characteristics of these vary depending on soil and weather conditions of the local that they inhabit. However, it is assumed that appropriate management methods can mitigate the negative effects caused by adverse environmental conditions. Thus, this study aimed to evaluate the influence of different conditions (bee colonies installed in sun and shade) in the production process of Africanized queens Apis mellifera, as well as in the performance and longevity of these queens in semiarid environment. 20 hives of Langstroth model were used in the experimental conditions cited. For the production of queens, were used 10 orphaned colonies (5 in the sun and 5 in the shade), and were evaluated the percentage of accepted larvae, the ontogenetic development and the emergency success rate of queens created in both conditions. To evaluate the longevity, sister queens of the same age were introduced in hives Langstroth installed with about 30.000 workers directly under the sun and in the shade, with 5 hives in each experimental condition. The monitored queens had the development of their colonies recorded in loco every 15 days, making estimates through mapping of the occupied area with eggs, brood, pollen and honey in the combs, until the queens died. Data were statistically analyzed by comparing the means by T-Student test at 5% probability. The results showed that the percentage of accepted larvae in colonies in the shade (68.82 ± 17.03%) was significantly greater than the percentage of accepted larvae in colonies in the sun (52.13 ± 16.29%). The weight gain of the queens was also higher when they were developed in shaded area, and the differences were detected from the ninth day of ontogenetic development, when individuals were at the end of the larval stage. After this phase, the weight of the individuals in both groups began to drop (until emergence of cell cups), but the queens of the shadow emerged on average 31 mg heavier than the queens of colonies installed in the sun. However, the emergence rate of the queens maintained in the sun (86.48%) and shadow (92.07%) was not statistically significant at 5% level. Some queens remain reproductively active and no significant difference was shown between partial results of the longevity, however, a longer life in the queens of hives under shade conditions (215 ± 29.4 days) was observed compared with queens of hives exposed to the sun (183 ± 46.2 days). As far as three queens (2 in the shade and 1 in the sun) of both groups are still alive the difference between the groups can be increased. However, due the harsh conditions of the semiarid Caatinga (light, temperatures, drought and poor food conditions) the queen’s longevity was seriously affected and new studies should be done for better conclusion. The development of the colonies was also positively influenced by shading condition, and the brood area was the main favored variable. It is concluded that the installation of hives in shaded area softens the harsh conditions of the Semiarid Caatinga, providing better performance of the colonies and queens, as well as greater efficiency in the scientific creation process of the Apis mellifera queens
Keywords: Apis mellifera
Produção de rainhas
Longevidade
Condições ambientais
Apis mellifera
Queen production
Longevity
Environmental conditions
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Semi-Árido
metadata.dc.publisher.initials: UFERSA
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal
Citation: SANTOS, Ricardo Gonçalves. Longevidade e produção de abelhas rainhas africanizadas (Apis mellifera L.) em colmeias sob condições de sol e sombra no Semiárido do Nordeste brasileiro. 2015. 192 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Ciência Animal, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/tede/697
Issue Date: 27-Feb-2015
Appears in Collections:MESTRADO EM CIÊNCIA ANIMAL

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RicardoGS_DISSERT.pdf2.52 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.