A afetividade no processo ensino-aprendizagem: estudo de caso de uma aluna com transtorno depressivo

Resumo

A afetividade é um dos fatores que favorecem a aprendizagem e o desenvolvimento cognitivo, fazendo com que o indivíduo aprenda através dos sentimentos, das emoções e das experiências que são trocadas na interação com o outro. Partindo desse entendimento, este trabalho apresenta reflexões sobre a contribuição da afetividade nas práticas pedagógicas de uma professora junto a uma aluna diagnosticada com o transtorno depressivo. A pesquisa é de abordagem qualitativa e se configura como estudo de caso, que analisa um fenômeno atual no contexto real. Tem como base teórica autores como Wallon(1979), Vygotsky(1896), Freire(1996), e outros que partem do pressuposto que a afetividade e o diálogo estabelecem relações entre o sujeito e o mediador gerando resultados significativos. Além destes, nos embasamos em teóricos que estudam o transtorno depressivo tais como: Beck(1976), Frankl(1990) e Polaino(1988). Assim, a necessidade de compreender se a dimensão afetiva entre professor-aluno influencia o processo de ensino-aprendizagem é o que justifica este trabalho. Os dados apontam que é imprescindível que no contexto escolar trabalhemos a articulação afetividade-aprendizagem nas mais variadas situações, considerando-a essencial na prática pedagógica e não a julgando como simples alternativa da qual podemos lançar mão quando queremos fazer uma “atividade diferente” na escola.


Descrição
Citação