Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/2407
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Impacto da seca sobre a vegetação da floresta nacional de Açu – RN
metadata.dc.creator: Araújo, Odrano Ávila Medeiros de
metadata.dc.contributor.advisor1: Ferreira, Rafael da Costa
metadata.dc.contributor.referee1: Rodrigues, Marcus Vinicius Sousa
metadata.dc.contributor.referee2: Silva, Leonardo Magalhães Xavier
metadata.dc.description.resumo: A desertificação é considerada como um conjunto de processos de degradação que estabelece enormes problemas ambientais. Áreas em andamento de desertificação devido os efeitos da seca e ações antrópicas ainda necessitam ser melhor estudadas, logo é indispensável a elaboração de fundamentos de análise e o progresso de metodologias e técnicas para a compreensão desse processo. Entre as várias fontes tecnológicas disponíveis e que atualmente são utilizadas para fins didáticos e pesquisas acerca de analises da superfície terrestre sem o contato físico com o meio, destaca-se o sensoriamento remoto, que está sendo empregados na modelagem de diversos paramentos biofísicos da vegetação que podem ser medidos através dos índices de vegetação, onde as qualidades ambientais são indicadas através deles. Portanto o presente trabalho tenta identificar os efeitos da seca na vegetação da Floresta Nacional de Açú, no estado do Rio Grande do Norte, por meio de imagem de satélites. Através de dados pluviométricos foram observados o início e a extensão da seca que acomete a região, sendo selecionadas imagens de satélite antes e durante e depois do evento, onde foram obtidos os dados do Índice de Vegetação da Diferença Normalizada para toda a área estudada. Verificou-se que a seca que atinge o local teve seu ápice nos anos de 2012 e 2013, onde nos anos de 2014 e 2015 oscilou, mantendo-se na média, onde voltou a sua diminuição com um leve aumento dos seus índices pluviométricos no ano de 2017e 2018. Observou-se que o impacto da seca sobre os volumes d’agua dos reservatórios que na flona existe, tendo como principal o Lago do Piancó, ocorreu uma drástica diminuída, como também sobre a vegetação. Onde ocorreu uma leve recuperação em seu volume de aguá na região da flona, e não no lago, sendo que a tímida recuperação do regime pluviométrico não interferiu na recuperação dos níveis de água dos reservatórios e pouco interferiu nas áreas de vegetação densa e muito densa, em 2015 e 2017, podendo distinguir a morte dessa vegetação nativa, o que se encaminha a aceleração do processo da desertificação.
Abstract: Não possui
Keywords: Landsat
Flona
Índices de vegetação
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Semi-Árido
metadata.dc.publisher.initials: UFERSA
metadata.dc.publisher.department: Centro Multidisciplinar de Angicos
Citation: Araújo(2018) (ARAÚJO, 2018)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/1941
http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/2407
Issue Date: 21-Mar-2019
Appears in Collections:Ciência e Tecnologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OdranoAMA_ART.pdf1.15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.