Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/3389
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: O impacto do conservadorismo na previsão dos fluxos de caixa futuros através dos componentes dos accruals: um estudo nos países do G20
metadata.dc.creator: Silva, Mariana Câmara Gomes e
metadata.dc.contributor.advisor1: Mota, Renato Henrique Gurgel
metadata.dc.description.resumo: Este estudo objetiva analisar o impacto do conservadorismo contábil na capacidade dos componentes de accruals na previsão dos fluxos de caixa futuros. Para tanto, foi utilizada uma amostra composta por 8.591 firmas não financeiras com ações negociadas em bolsas de valores dos 19 países que compõem o G20, considerando o intervalo de tempo de 2002 a 2016. Para a estimação do conservadorismo, utilizou-se o modelo e Ball e Shivakumar (2006). Os resultados indicaram que o conservadorismo impacta na previsão de fluxos de caixa, uma vez que apresentou significância ao nível de 1%. No entanto, identificou-se que as firmas não conservadoras apresentaram maior predominância na amostra. Este resultado pode ser justificado pela utilização de dados tanto de firmas com o mercado acionário avançado como de outros que estão em crescimento. Já no que diz respeito à previsão de fluxos de caixa futuros por meio dos componentes do accruals (itens especiais e não especiais), evidenciou-se que: i) dentre os componentes de accruals, os itens especiais, não impactam na previsão de fluxo de caixa, quando analisado separadamente ou em conjunto com os demais componentes; ii) os componentes de accruals de itens não especiais e os fluxos de caixa operacional fornecem informações estatisticamente significativas na previsão de fluxos de caixa futuros. Em seguida, analisou-se a capacidade preditiva das empresas conservadoras e não conservadoras por meio do somatório das médias dos R². Os resultados médios indicaram as firmas não conservadoras como melhores preditoras de fluxos de caixa. Por fim, realizou-se o teste para amostra emparelhada a fim de verificar a existência de diferenças significativas entre as médias dos somatórios dos R² por ano. Desse modo, encontrou-se que não há diferença significativa entre essas médias, indicando que não é possível afirmar que firmas conservadoras ou não apresentam maior capacidade preditiva de fluxos de caixa futuro.
Abstract: Não possui
Keywords: Qualidade da informação
Fluxos de caixa futuros
Accruals
Conservadorismo contábil
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Semi-Árido
metadata.dc.publisher.initials: UFERSA
metadata.dc.publisher.department: Centro de Ciências Sociais Aplicadas e Humanas - CCSAH
Citation: Silva (2019) (SILVA, 2019)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/1619
http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/3389
Issue Date: 20-Mar-2019
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MarianaCGS_ART.pdf595.92 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.