Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/4764
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Influência da sazonalidade na riqueza de aves de uma área do semiárido brasileiro
metadata.dc.creator: Almeida, Tanara Kauane Correia
metadata.dc.contributor.advisor1: Paiva, Luciana Vieira de
metadata.dc.contributor.referee1: Lunardi, Vitor de Oliveira
metadata.dc.contributor.referee2: Hrncir, Michel
metadata.dc.description.resumo: A Caatinga é um ambiente semiárido tropical que apresenta alta sazonalidade climática, incluindo grande variação na quantidade de chuva ao longo do ano. Isto gera flutuações nas condições ambientais e na disponibilidade de recursos e, consequentemente, deve influenciar a variação na riqueza de espécies de aves no espaço e no tempo. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi comparar a riqueza de espécies de aves entre o período chuvoso e seco em uma região de clima semiárido, e entender a variação da riqueza em função da sazonalidade das chuvas. Nossas premissas sugerem que a periodicidade climática marcante da região resulta em comunidades distintas entre períodos seco e chuvoso, sendo que a riqueza de espécies de aves seria maior durante o período chuvoso do que no período seco. E ainda, que a imprevisibilidade interanual resulta em comunidades distintas entre anos dentro de um mesmo período. Para isso, utilizamos dados de seis anos (set. 2012 à set. 2018) de captura-recaptura de aves obtidos em uma região semiárida do Brasil. Ao todo amostramos 76 espécies pertencentes à 24 famílias. O número de espécies amostrados no período chuvoso foi quase duas vezes maior (N=75) do que no período seco (N=40). Corroborando a hipótese de que em períodos chuvosos a riqueza de espécies é maior do que em períodos secos e que a periodicidade climática marcante da região resulta em diferentes comunidades entre períodos seco e chuvoso. Quanto à precipitação, o volume de chuva variou entre as seis estações chuvosas amostradas, sendo que a estação do ano de 2018, apresentou o maior volume e a estação do ano de 2016, o menor. Entretanto, o volume das chuvas parece não influenciar na riqueza de espécies de aves, uma vez que mesmo que o volume tenha variado, a riqueza de espécies manteve a média dentro do intervalo de confiança. Portanto, esses dados refutam nossa hipótese, sugerindo que a imprevisibilidade no volume de chuvas interanual não influencia na variação da riqueza de espécies de aves
Keywords: Caatinga
Comunidade de aves
Imprevisibilidade de chuvas
Sazonalidade climática
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Semi-Árido
metadata.dc.publisher.initials: UFERSA
metadata.dc.publisher.department: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS
Citation: Almeida (2019) (ALMEIDA, 2019)
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/4764
Issue Date: 13-Aug-2019
Appears in Collections:Ecologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TanaraKCA_MONO.pdf506.65 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.