Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/6213
metadata.dc.type: Trabalho de Conclusão de Curso
Title: Atributos resilientes de touros nelore sob o desafio térmico da radiação solar
metadata.dc.creator: Santos, Mateus Medeiros dos
metadata.dc.contributor.advisor1: Costa, Leonardo Lelis de Macedo
metadata.dc.contributor.referee1: Souza Junior, João Batista Freire de
metadata.dc.contributor.referee2: Queiroz, João Paulo Araújo Fernandes de
metadata.dc.description.resumo: Nosso objetivo foi avaliar as respostas fisiológicas e biofísicas de touros Nelore expostos à radiação solar. O experimento foi conduzido com dezesseis touros Nelore, com idade média de três anos e peso corporal médio de 650 ± 32 kg, avaliados nas condições ambientais de Tibau, Rio Grande do Norte, Brasil (5°52ʹ Sul, 37°20ʹ Oeste e 37 m acima do nível do mar), uma região equatorial semiárida sob influência da maritimidade. As coletas de dados foram realizadas durante quatro dias não consecutivos, iniciando às 7:00 e terminando às 17:00 horas, em intervalos regulares de uma hora. Em cada dia de coleta, foram analisados quatro animais, que foram mantidos continuamente expostos ao sol. Em intervalos regulares de um minuto, foram aferidas a temperatura do ar, a umidade relativa do ar, a radiação solar direta e as temperaturas do globo através de uma estação meteorológica, enquanto a velocidade do vento foi aferida por meio de um termo-higro-anemômetro digital. Como variáveis fisiológicas, foram monitoradas a frequência respiratória, a temperatura do ar expirado, a temperatura retal e a temperatura da superfície corporal. Os mecanismos sensíveis e latentes de transferência de calor foram estimados através de equações biofísicas. Durante o período experimental, a temperatura do ar variou entre 28,5 e 32,5 °C e a radiação solar direta entre 21 e 891 W m-2. Entre 11:00 e13:00 horas foi observado um intenso fluxo de calor radiante, com os touros ganhando até 250 W m-2 através da radiação de ondas longas. Nesse mesmo período, foi observado um aumento significativo (P < 0,05) da frequência respiratória e da temperatura da superfície corporal. A convecção foi importante na dissipação de calor, principalmente quando foi potencializada pela velocidade do vento a partir das 11:00 horas. No entanto, apesar da contribuição da termólise convectiva, as perdas latentes de calor foram mais eficientes sob a condição de exposição total ao sol. Os Touros da raça Nelore mantêm a temperatura corporal dentro de limites estreitos mesmo quando expostos a alta radiação solar. Isto evidencia a eficiência dos mecanismos fisiológicos e biofísicos nos horários do dia de maior desafio térmico.
Keywords: Mecanismos biofísicos
Respostas fisiológicas
Semiárido
Termorregulação
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Semi-Árido
metadata.dc.publisher.initials: UFERSA
metadata.dc.publisher.department: Centro de Ciências Agrárias - CCA
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/6213
Issue Date: 11-Dec-2020
Appears in Collections:Zootecnia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MateusMS_MONO.pdf1.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.